Especulações livres

28 de nov de 2006

Saudades

A cada dia que passo longe do Brasil, minha saudade aumenta. Saudades nao do Brasil em si, mas daquela ilha poluida e mal planejada que chamamos de Sampa. Ilha sim, por que a cidade, ainda que umbilicalmente ligada ao pais que a deu origem, congrega um desejo coletivo de superar e sublimar os limites impostos por essa origem, numa busca frenetica de alcancar o mundo. Passei meros 4 anos dos meus 31 na Pauliceia, mas foram alguns dos mais intensos da minha vida. Ainda que eu tenha sido forjado enquanto adulto no interior do estado, e ainda que eu tenha sangue mineiro (e jeito de mineiro, e sotaque de mineiro, e manias de mineiro, como tomar cafe com leite), foi em sampa que pude experimentar e vivenciar a pessoa que eu gostaria de ser. Foi em sampa que comecei a desenvolver a minha vida propriamente dita, foi ali que comecei a jogar pra cima meu passado e a fantasiar o meu futuro, e foi ali que vivi com mais intensidade o meu presente. Ainda que eu tente dizer que nao sinta saudade do lado ruim, como a poluicao e as desilusoes que senti, seria dificil imaginar os porques do meus gostar de sampa sem incluir tambem esses elementos na equacao. Pois, se foi em sampa que eu consegui experimentar com mais liberdade os mais bizarros aspectos da minha personalidade, tambem foi nessa cidade que vivenciei algumas das minhas mais drasticas desilusoes. Algumas delas repercutem em mim ate hoje: carrego marcas de um periodo de tristeza e caos que sao dificeis de apagar. Mas e como sempre dizem: nao tem jeito de aprender senao cometendo erros. E meus erros paulistanos foram os mais gostosos de serem cometidos. Eu os cometeria todos novamente, caso tivesse a chance de repeti-los. Sair de Sampa foi um imenso coitus interruptus. Foi um aborto de uma crianca que mal comecava a delinear-se. Talvez por isso eu tenha sentido tanta dor ao sair, tanta decepcao com o fim de um projeto tao sonhado e tao desejado. Mas justica seja feita, sair de la significou o inicio de uma transicao importante que, longe de estar acabada, promete talvez me levar la, exatamente onde eu sempre quis estar. E, quem sabe, esse processo um dia nao me leve para la, de volta nesse lugar que eu aprendi a amar a distancia, que eu aprendi a entender pelo contraste. Senao entender, pelo menos a respeitar. Sampa sempre foi imensa demais para mim, e talvez por isso eu sinta ali tantos projetos inacabados a serem realizados. Talvez eu nunca mais volte, talvez meu destino seja alguma vila remota do Mato Grosso ou a velha Minas Gerais. Mas tudo o que eu sei agora e que a luz no fim do meu tunel parece estar deliciosamente borrada com a garoa e a poluicao dessa cidade que tanto me fez sofrer e que tao calorosamente me abrigou.

4 comentários:

rick disse...

adorei seu texto, muito bom...

André disse...

Eu tenho uma relação de amor e ódio com São Paulo e com todos os lugares que vivo, já vivi ou vou viver, o que é extremamente saudável para mim. Pois assim, estando em São Paulo, sinto saudade do campo e da praia, e estando no campo e na praia, sinto saudade de São Paulo. Muitos paulistas que conheço têm pavor à tranquilidade do interior, e muitos interioranos que conheço têm pavor ao caos da capital. Eu prefiro o livre trânsito entre ambos, que é o que estou buscando na minha vida.

Komentarista disse...

Andre, falou tudo, eu vivo nessa de amor e odio tambem... Quem me conheceu em sampa e ouviu minhas lamurias entende... Mas tambem com o tempo a gente vai consolidando algumas ideias; ainda bem que eu sou aventureiro e ja morei em tudo que e tipo de lugar, ajuda a ter uma perspectiva!

Divorciado disse...

Olá amigo, passando por aqui pra conhecer, não pude deixar de comentar: Tbém ando meio "às avessas" com essa cidade, em novembro ainda fui assaltado e levaram o meu carro. Mas confesso que quando estou longe de Sampa sinto uma saudade enorme de todo esse barulho, shoppings, culinária exagerada (pizzas), e o lado CULT da cidade. No Bra"z"il ñ existe outra cidade assim. Se um dia eu for para praia ou campo defitivamente...vou precisar fazer uma desintoxicação dessa cidade, algum 'pré' tratamento para não morrer de tédio longe daqui. Bem, passei pra dizer "olá"...volto com + calma, Abraços e um Feliz Natal.

Total de visualizações de página